terça-feira, 21 de abril de 2009

Por quê "Papo de Joio"?

Me perguntaram o por quê de ter escolhido o título "Papo de Joio" para nomear as postagens que eu faço quando a temática é vida cristã. Bem... A parada surgiu de um papo informal entre meu cunhado e eu, onde o assunto era meio polêmico e tal, com muita margem de divergência e quando eu ia emitir uma opinião sobre o assunto, pensei por uns instantes e resolvi fazer a ressalva: Bicho, o que vou falar agora pode ser papo de joio, saca? Não sei com certeza sobre isso e tal, mas minha opinião é a seguinte, bla bla bla. Daí rimos sobre isso e resolvi então fazer uso disso para dar uma sacaneada geral no fato de que na verdade, quem sabe mesmo quem é joio e quem é trigo é apenas Jesus, que me vê por dentro. E num tempo anterior eu costumava emitir minhas opiniões sem muita preocupação com quem ouvia e acrescentava o seguinte: Certo, você tem uma opinião diferente da minha sobre um monte de coisa. Ok, beleza... Isso faz com que você pense que por isso não somos irmãos, não serei seu vizinho no céu... E já que não vou morar lá mesmo, por quê você iria me suportar, não é mesmo? Pois é brother, mas tenho um lembrete pra você: Mesmo que eu de fato esteja diametralmente oposto e distante de Jesus por conta de seu ponto de vista, sendo portanto considerado por você como joio, não se esqueça que a prerrogativa de me eliminar não é sua, é de Jesus que o fará no último dia... E quem sabe se até lá não pode acontecer de eu ser transformado pela Graça de Deus? Pois é, então, até este dia chegar, como já cantou o Jotaquest: ...mas até lá eu vou ficar aqui... E você vai ter que me aguentar. Humildade sempre. Gutto

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Papo de Joio...

Esses dias eu tava me lembrando de uma vez que fui com minha mãe na fazenda onde meus avós maternos moravam e trabalhavam e chegamos de ônibus na cidadezinha perto da fazenda e para acabar de chegar era a pé... A noite... Visibilidade noturna zero, sem postes de iluminação, sem carros passando para dar uma iluminadinha, se bobear nem lua tinha naquela noite... Daí a gente descendo o morro, minha mão me diz: Olhe onde estou pisando e pise lá tambem. Claro que ela não iria ficar explicando o perigo de buracos de cobra, de tatu, ou qualquer outro bicho noturno que pintasse por ali... Só mandou pisar onde ela estava pisando. Lembro que eu pensei: Pô, uma que não tou enxergando nada e outra que eu seu muito bem andar sozinho... O resultado foi que ao chegar na fazenda, tive que ficar um tempão tirando espinhos das pernas por não ter seguido a orientação logo no início da caminhada, fui pelos meus próprios caminhos durante um tempo... Começou a ficar cada vez pior, então resolvi "pisar onde ela tava pisando". Mas os espinhos já tinham grudado e só lá na chegada da fazenda pra tirar os caras...
Daí vem Jesus falando que "...quem quiser vir após mim" ( me seguir, andar por minha cabeça, seguir meu exemplo, seguir meus conselhos, ser meu discúpulo, pisar onde estou pisando...)diga não a si mesmo, pega a sua cruz e o siga. Meu, pegar a cruz até que muitas vezes eu pego, só pra depois descobrir que peguei pra que eu fosse visto carregando aquele fardo, aquele ministério, aquela pose... Tipo aqueles caras do tempo de Jesus que quando iam ofertar mandavam tocar as trombetas, ou quando iam no templo orar oravam em voz alta agradecendo a Deus por não serem gente pecadora como eu... Então entendo que até para pegar a cruz devo negar a mim mesmo se o fato de querer pegar a cruz estiver partindo do meu Eu enquanto Ego (aquele lance do Id Ego e Superego...). Pegar minha cruz deve ter sempre tudo a ver com Aquele que gera em mim tanto o querer quanto o realizar... Entendo então que negar a mim mesmo é o ato talvez mais secreto e íntimo de minha parte para com Jesus, o ato que talvez tenha a ver com o nome que vai estar escrito na pedrinha branca no dia da festa (pô, espero estar lá também uai...)nome este que só eu e o cara vamos saber... No mais, é seguir os passos Dele e evitar os espinhos evitáveis. Os não evitáveis iguais aos do Paulo, eu conto com a graça e a companhia Dele pra assim como mamãe fez, ele sentar do meu lado num cantinho da festa e me ajudar a tirá-los.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Papo de Joio...

Simplicidade... Sofisticação
Dia desses eu tava pensando sobre a palavra “Sofisma” e tal. Sofisma tem a ver com mentiras, enganos. De vez em quando eu encano com algumas palavras e fico degustando a parada até formular algumas definições pra mim sobre o assunto. Pois então, eu fiquei pensando em “sofisma” e depois de procurar algumas definições, dicionários e tal, vi que tem a mesma raiz da palavra “sofisticado”, ao que eu imediatamente me lembrei da oposição ao que é “simples”. Lembrei-me de quando Jesus observa os discípulos debatendo sobre quem é o maior, o menor, essas porcarias assim, e os caras ainda por cima chegam com essa dúvida pra ele resolver e ele chama uma criança e diz que é simples como aquela criança é o cara no reino dos céus... E que se eles não se fizerem assim como crianças não entrariam n o reino dos céus... Bicho, ele tava falando isso pros discípulos meu! Caras que andavam com ele o tempo todo... Dentre todo o material que dá pra viajar na comparação, deixo aqui o seguinte: Quantas vezes eu complico ao máximo minha experiência com Jesus, preciso de vários sinais para crer, faço mil confissões e promessas pra convencê-lo a me atender... E ele já disse que os pardais não sabem o que vão comer hoje, mas quando saíram pra procurar ele já tinha preparado tudo pra eles. E que eu valho mais que os pardais. Aí eu vejo o quanto minha fé ficou sofisticada. O quanto estou enganado sobre algumas certezas que carrego. Então olho pro meu sobrinho (03 anos) e entendo o porquê preciso receber Jesus com a simplicidade daquele moleque. É foda...

Ouvi essa e curti demais...

"Qué vivê muito tempo? Faiz um trem qui ocê gosta, qui ocê sabe e qui ocê dá conta." Genial!