quinta-feira, 16 de abril de 2009

Papo de Joio...

Esses dias eu tava me lembrando de uma vez que fui com minha mãe na fazenda onde meus avós maternos moravam e trabalhavam e chegamos de ônibus na cidadezinha perto da fazenda e para acabar de chegar era a pé... A noite... Visibilidade noturna zero, sem postes de iluminação, sem carros passando para dar uma iluminadinha, se bobear nem lua tinha naquela noite... Daí a gente descendo o morro, minha mão me diz: Olhe onde estou pisando e pise lá tambem. Claro que ela não iria ficar explicando o perigo de buracos de cobra, de tatu, ou qualquer outro bicho noturno que pintasse por ali... Só mandou pisar onde ela estava pisando. Lembro que eu pensei: Pô, uma que não tou enxergando nada e outra que eu seu muito bem andar sozinho... O resultado foi que ao chegar na fazenda, tive que ficar um tempão tirando espinhos das pernas por não ter seguido a orientação logo no início da caminhada, fui pelos meus próprios caminhos durante um tempo... Começou a ficar cada vez pior, então resolvi "pisar onde ela tava pisando". Mas os espinhos já tinham grudado e só lá na chegada da fazenda pra tirar os caras...
Daí vem Jesus falando que "...quem quiser vir após mim" ( me seguir, andar por minha cabeça, seguir meu exemplo, seguir meus conselhos, ser meu discúpulo, pisar onde estou pisando...)diga não a si mesmo, pega a sua cruz e o siga. Meu, pegar a cruz até que muitas vezes eu pego, só pra depois descobrir que peguei pra que eu fosse visto carregando aquele fardo, aquele ministério, aquela pose... Tipo aqueles caras do tempo de Jesus que quando iam ofertar mandavam tocar as trombetas, ou quando iam no templo orar oravam em voz alta agradecendo a Deus por não serem gente pecadora como eu... Então entendo que até para pegar a cruz devo negar a mim mesmo se o fato de querer pegar a cruz estiver partindo do meu Eu enquanto Ego (aquele lance do Id Ego e Superego...). Pegar minha cruz deve ter sempre tudo a ver com Aquele que gera em mim tanto o querer quanto o realizar... Entendo então que negar a mim mesmo é o ato talvez mais secreto e íntimo de minha parte para com Jesus, o ato que talvez tenha a ver com o nome que vai estar escrito na pedrinha branca no dia da festa (pô, espero estar lá também uai...)nome este que só eu e o cara vamos saber... No mais, é seguir os passos Dele e evitar os espinhos evitáveis. Os não evitáveis iguais aos do Paulo, eu conto com a graça e a companhia Dele pra assim como mamãe fez, ele sentar do meu lado num cantinho da festa e me ajudar a tirá-los.

Nenhum comentário: