quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Papo de Joio - E inventaram o termo "Posteridade"...

Não sei nada. Bem, quase nada. Sei muito pouco sobre quase nada. Tenho muitas perguntas, é verdade... Pensando ontem: Com quantas pessoas Jesus falou pessoalmente, durante seus três anos de ministério? E durante toda sua vida aqui, enquanto gente comum? Será que fazia e dizia tudo que disse e fez seduzido pela "posteridade"? Seduzido em "fazer história"? Seduzido em "causar impacto na maior quantidade de pessoas reunidas aqui nesta noite" (geralmente este número nunca bate com os apurados pelos Bombeiros... Mas são apenas números... Né...) Fico vendo o cara saindo fora das multidões, ouvindo a própria família alfinetando que quem quer ser conhecido e não faz como ele fazia, ficando ali em cidadezinhas pequenas, vilarejos marginalizados, andando com marginalizados (neste momento me lembro daquela merda de frase: me diga com quem andas e direi quem és... Puta preconceito, manipulação e distorção do Salmo 1...). Das multidões que se ajuntavam separou uma galera menor, depois uma menor ainda e depois basicamente Pedro, Tiago e João... E João era ainda mais próximo. Isso pra que eu entenda que a busca Dele era, e sempre será por relacionamento pessoal, proximidade, saber o que estou valorizando, por que Ele quer ir a Jerusalém apesar das ameaças... Ele não se deixou seduzir pela projeção da sinagoga, do sinédrio, do seminário de teologia (isso mesmo, com "t" minúsculo) onde me vem a impressão do deus sobre quem Nietzshe atestou a morte, deitado numa maca metálica sendo dissecado pelos alunos. Se deixou seduzir pela proximidade verdadeira, pela amizade, por ser alguém que conversa com uma mulher samaritana! E ainda por cima ela devia ser muito gata, pela quantidade de mariodos que tivera e ainda tinha um "em casa" que parecia não ser dela... e Jesus ali falando com ela, os discipulos chegando e achando estranho ele de conversa fiada com aquela dona e tal... Mas Ele parou pra falar com Ela. Não se deixou impedir pelo que poderia ser pensado por seus amigos... Volto depois para falar mais...

Senna e o Paraíso... Genial!

Quando Ayrton Senna chegou ao céu, São Pedro foi logo perguntando:

- Como é seu nome, meu filho?

- Ayrton Senna da Silva.

- Ah!!! Você é aquele piloto da F1, não é?

- Sou eu mesmo.

- Aquele que tinha uma ilha em Angra dos Reis com heliporto, quadra de tênis, praia particular entre outras coisas, mais um jato executivo Learjet 60 de 12 lugares comprado por US$ 19.000.000,00, um helicóptero bi-turbo avaliado em US$ 5.000.000,00 uma lancha Off Shore de 58', uma fazenda em Tatuí e que ganhava US$ 1.200.000,00 por corrida?

- Sou eu mesmo.

- Andava de Audi, Honda NSX e tinha uma DUCATI com seu nome?

- Sim, senhor!

- Morava em Mônaco, mas tinha apartamentos em NYC, Paris e viajava quando queria para o Brasil no seu próprio jatinho particular?

- Correto.

- Aquele que até hoje a família é acionista da Audi do Brasil?

- Eu mesmo!

- Aquele que comeu a Xuxa e a Adriane Galisteu?

- Sim.

- Putz . Pode entrar, mas você vai achar o Paraíso uma merda...


roubei daqui:

http://pavablog.blogspot.com/2009/08/dois-passos-do-paraiso-5.html